A melhor resposta ao coronavírus é a inovação através do encontro com si mesmo

Por Benício José Filho*

Temos assistido nos últimos dias uma enorme transformação em nosso modo de vida. Relações que se resumem a olhares sem nenhum toque ou um aperto de mão. Empresas inteiras reinventando sua forma de trabalhar. O famoso home office surge como opção, porém jamais podemos esquecer que o restante da família também está em casa. Carros na garagem, supermercados cheios, pessoas aflitas. Será essa a lição que temos deste momento que estamos vivendo?

Sinceramente, acredito que não. Se por um lado a natureza agradece pois é a redução de emissão de poluentes no ar é sensível e em São Paulo capital por exemplo em uma noite dessas contei tantas estrelas que por um momento achei que estava em uma cidade do interior. Nossa humanidade está sendo posta a prova. Temos uma incrível oportunidade de evoluirmos enquanto espécie. Porém como aproveitar deste momento sem que fiquemos achando que o mundo está acabando?

Tenha certeza que o mundo não está acabando, porém ele está mudando e isso não tenha dúvida. Ainda não sabemos se para o bem ou para o mal. Mas como aproveitamos este momento esta sim é uma escolha nossa. Países inteiros estão sendo impactados pelas mudanças. Algumas nações da Europa fecharam suas populações em suas casas restringindo circulação e causando restrições nunca antes vistas. No Brasil voos adiados, fronteiras terrestres com países vizinhos também foram fechadas. Vivemos o maior recolhimento desde tempos de guerra. Como então aproveitar este momento?

Bem, acredito na infinita capacidade criativa do ser humano. Sua capacidade de transformar problemas em bons negócios ou ainda em novas oportunidade é gigante. Sabe aquele texto ou livro que você não tinha tempo para ler? Sabe aquele momento com a família que você adiava pela falta de tempo? Então eis que ele, o “tempo”, apareceu. Sua finitude é algo que não controlamos, mas neste momento da história somos senhores do nosso tempo. A onde você estiver, olhe ao seu redor. De que forma este momento com você mesmo pode ser um momento de encontro e não de solidão.

Lembro de um belo livro que li a pouco anos e logo em seguida assiste ao filme Na Natureza Selvagem, apresentava a jornada de um jovem que tendo uma vida incompatível com o que acreditava ser felicidade parte em uma jornada com o objetivo de chegar no Alasca. Neste caminho, seja pela terra, rios ou mesmo apenas caminhando era na percepção da natureza que ele encontrava a si mesmo naquilo que podemos chamar de solitude. Quando estamos bem conosco, parece que a vida tem outro sentido.

Sim, vivemos um momento estranho, porém continuamos sendo quem somos, seres humanos. É interessante ver o que nos tornamos quando o caos espreita a nossa frente. Em alguns casos, simplesmente deixamos nossa humanidade e centenas de milhares de anos de evolução e começamos a agir como se novamente estivéssemos na savana africana correndo atrás de uma preza para caça-la. Nossa evolução fez de nos seres que desenvolvemos como nenhuma outra espécie a capacidade de se comunicar e gerar conhecimento apartir da escrita e da fala. Tais conexões nos ensinaram a trocar conhecimento e a gerar conhecimento. Se por um lado foi este avanço evolucional que nos trouxe até aqui é hoje o que sentimos falta neste momento que vivemos.

Cabe bem neste momento o tema do meu artigo. Através da criatividade, podemos desenvolver seja pela internet ou qualquer outra tecnologia nova formas de nos conectarmos ou estarmos juntos. Focar no que temos e não na ausência do que perdemos é parte importante deste processo de aceitação. Sim, aceitar o momento que vivemos é fundamental para supera-lo. O mundo está a nossa frente, precisamos apenas nos conectarmos a ele através das ferramentas que temos. Seja por um computador, smartphone ou mesmo um bom livro ou ainda uma revista, porém jamais esqueça. Você pode estar perto de quem ama de uma maneira muito fácil, olhe sinceramente no espelho e tenha satisfação e orgulho por tudo que já fez e ainda pelo que fará.

Somos vencedores e podemos transformar o mundo. Sua história e conhecimento acumulado ao longo da sua trajetória pode construir novas soluções para mundo, novas abordagens a problemas conhecidos ou ainda, criar novas formas de vivermos. Eu sinceramente acredito que somos capazes de resolver tudo que criamos. Não estamos diante de algo inédito, mas sim de novos tempos. Como respondemos a este momento definira como viveremos daqui por diante. Não existem mais problemas locais, tudo é universal. Ou reagimos juntos diante desta crise ou ficaremos achando que o mundo é um lugar à onde não vale mais a pena estar.

Viver é maravilhoso, porém perceber que se está vivo é Graça. Diante de todos nós temos duas possibilidades sempre, neste momento uma delas é ficar reclamando de todos e do mundo com a afirmação que apenas acalenta os fracos, “afinal por que tinha que acontecer isso agora”. Mas a segunda possibilidade que temos é a que particularmente gosto mais é: “Diante do que estamos vivendo, como posso ser melhor como ser humano, evoluir diante disso tudo e ajudar o mundo nesta mudança e transformação”.

Esqueça o mundo que você vivia, passamos por uma mudança a muito anunciada. Mudança sempre causa desconforto e medo, mas podemos evoluir e continuar fazendo da nossa vida uma jornada de esperança, vida e transformação.

*Benício José Filho é  empresário, palestrante, mentor, investido-anjo e professor. Sócio da Atlantic Hub, Core Angels, fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, entre outros. Lançou em 2019 o primeiro livro: “Vidas Ressignificadas”. Site: www.beniciofilho.com.br. Instagram: beniciofilho_

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here