Alberto Grisaro é a história viva da publicidade regional

0
246
Por Vitor Lima 

Alberto Luiz Grisaro é um daqueles senhores que proporcionam horas e mais horas de boa conversa. Aos 86 anos, “seu” Alberto se delicia ao relembrar os causos dos mais de 70 anos dedicados à comunicação, as histórias pitorescas da época de radialista, os clientes conquistados e os fatos históricos do mundo da publicidade. 
Natural de Mogi das Cruzes, Alberto veio para Santo André em 1947, aos 17 anos, onde inaugurou, ao lado de José de Araújo Freitas, o serviço de alto falante “Pregão Comercial de Santo André”. Apesar de o rádio viver sua época de ouro no Brasil, em Santo André não havia nenhuma emissora local – o que ajudou a impulsionar o negócio de alto falantes na cidade. Entre idas e vindas, Grisaro continuou trabalhando neste serviço até 1953, quando, finalmente, foi criada a primeira rádio do município – a saudosa Rádio Clube.  
Projeção de slides foi uma das grandes inovações de Grisaro | Foto: Hugo Silva 
Após um período de cinco anos gerenciando a farmácia do irmão, em 1957, Grisaro foi responsável por uma grande inovação publicitária: a projeção de slides. O próprio recorda: “Eu comecei com esse produto porque o pai do Celso Daniel (Bruno Daniel) me chamou e disse que precisava fazer a campanha de Carvalho Pinto para governador em Santo André. Rádio já tinha, cartaz já tinha… então eu fui procurar alguma ideia em São Paulo e achei um aparelho de projeção na Fototica”.  
Com o projetor em mãos, o publicitário criou os slides (que ele guarda até hoje) e foi para frente do Cine Teatro Carlos Gomes, onde realizava as projeções. Essa foi a primeira grande inovação da Publisan, a primeira agência de publicidade do ABC. 
Material usado em 1957, quando Carvalho Pinto disputava as eleições para governador de SP | Foto: Hugo Silva
Os serviços prestados na Publisan iam bem, mas o publicitário tinha vontade de se reaproximar de uma antiga paixão: o rádio. Assim, em 1962, Grisaro criou um programa especial para o Dia das Mães que ia ao ar uma vez por ano e contava com a participação do dramaturgo Antonio Chiarelli. “Programa de Dia das Mães só com música não tem graça. Então o Chiarelli, que era um declamador excelente, declama poesias relacionadas à data”, conta. O programa foi transmitido até 1981, pela Rádio Emissora ABC, e só saiu do ar após o falecimento de Chiarelli. 
Em 1967, Alberto foi convidado para auxiliar na criação do jornal “Diário do Grande ABC”, o que obrigou o publicitário a deixar de lado a atuação na Publisan. Porém, o período afastado da própria agência de publicidade durou pouco: em 9 de maio de 1968 Grisaro cria a agência Alga (iniciais do próprio nome com “anúncios” no fim). De lá para cá se passaram 48 anos e tanto a Alga, quanto Grisaro continuam em atividade, por meio da seção Farmácias de Plantão, que continua com seu espaço nas páginas do Diário do Grande ABC.   
Ao ser questionado sobre quando ele deixará de trabalhar, o publicitário refletiu sobre as mudanças do mercado e admite que o meio impresso perdeu força. “O que me desanima um pouco é justamente a saída de grandes anunciantes para a internet. Todo ano eu falo: até o fim do ano eu encerro a página. Mas quando chega dezembro sempre chegam alguns clientes e renovam o contrato. E com isso estamos renovando há 48 anos”, explica, sem precisar a data em que pendurará as chuteiras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here