Otimizar e transformar: as palavras-chave do negócio

“A corrida pela transformação digital foi acelerada, as empresas que já estavam preparadas ou mesmo se preparando para essa transição são as que têm conseguido lidar melhor com o cenário adverso”, comenta a executiva Denise Marconi | Imagem: reprodução

*Por Denise Marconi

O advento da pandemia do novo coronavírus pegou o mundo inteiro de surpresa e, em grande parte, despreparado. A corrida pela transformação digital foi acelerada, as empresas que já estavam preparadas ou mesmo se preparando para essa transição são as que têm conseguido lidar melhor com o cenário adverso.

Parte importante da transformação digital, a otimização de processos e tempo ajuda as companhias a reduzirem seus custos e, desta forma, ter um parceiro estratégico que torne possível as ações emergenciais e o desenvolvimento das ações necessárias para o futuro é o que faz as organizações se diferenciarem e saírem na frente.

É nesse sentido que as consultorias precisam ser capazes de olhar para toda a jornada dos seus clientes e entender quais são as soluções corretas que permitirão viabilizar novas estratégias e modelos. Acompanhar suas rotinas de perto e buscar soluções, novas tecnologias e processos otimizados, que reduzam os esforços investidos e gerem maiores benefícios é o que faz a diferença em nosso trabalho.

Neste cenário, a parceria estratégica entre a EY e a SAP tem auxiliado os clientes em todos seus processos de transformação do negócio, colocando em prática os modelos adequados à realidade atual. Com soluções multidisciplinares, um olhar de ponta a ponta da jornada, utilizando automação e inteligência artificial é possível, por exemplo, garantir uma otimização de 30% do tempo e de 20% dos custos dos clientes em suas jornadas para o SAP S4/HANA.

Não é uma mudança simples, mas fazer as adaptações necessárias tendo o olhar voltado para a transformação do negócio e não apenas para a atualização técnica traz grandes ganhos. Arrisco, inclusive, a dizer que as empresas que não enxergarem essa transformação como propósito poderão ficar para trás, pois, ao não internalizar essa necessidade no seu dia a dia, não terão a agilidade necessária para responder às mudanças.

E essa agilidade com a qual as companhias são capazes de rever suas estratégias e virar a chave, inclusive, irá nortear os resultados. Uma rápida – e estruturada – resposta a mudanças de cenário pode ser a chave para sair na frente e se reinventar antes da concorrência.

*Denise Marconi é sócia-líder de Consultoria de Tecnologia da EY.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here