Por que incluir tecnologias acessíveis na estratégia de vendas está revolucionando o varejo

*Por Denis Osório

O investimento em tecnologia é importante em qualquer setor econômico, mas o último ano revelou que a inovação é imprescindível para a sobrevivência de um negócio. O varejo, em especial, foi um dos setores mais afetados, dada a necessidade de isolamento social em decorrência da pandemia de covid-19 que perdura até o momento. Os pequenos empreendedores que ainda não haviam integrado suas operações ao digital acabaram sendo impactados de forma negativa e a maioria precisou se adaptar às pressas, para atender a demanda de clientes que só puderam comprar online.

Para quem ainda não incluiu nos planos de 2021 adotar uma estratégia eficaz de digitalização e otimização de processos com uso de tecnologia, ainda há tempo para isso. Aos lojistas que atuam somente no ambiente físico e, até então, não aderiram ao e-commerce e a digitalização para integrar os dois ambientes, é imperativo que busquem soluções para, o quanto antes, fazer parte deste ecossistema. De acordo com projeção da Ebit | Nielsen, o e-commerce brasileiro terá um crescimento de 26% e as transações deste setor poderão faturar R$ 110 bilhões em 2021.

Depois de compreender o tamanho da necessidade de criação de um e-commerce, é preciso lembrar também que o varejo físico não vai acabar e por isso não deve ser deixado de lado na hora de considerar os planos de implementação tecnológica. Para isso, podem ser destacados alguns pontos essenciais na hora de se pensar em ferramentas tecnológicas para o setor:

Plataforma de e-commerce
O ponto de partida para quem deseja digitalizar seus processos de venda é escolher primeiro uma boa plataforma de e-commerce. Ao escolher uma empresa especializada nisso, o empreendedor terá mais liberdade e tempo para se dedicar a outras áreas do negócio, contando com o suporte necessário para auxiliar na criação da loja virtual. Depois de escolher a plataforma ideal, o varejista poderá pensar em todas as ferramentas e integrações necessárias para gerir o negócio virtual.

Meios de pagamento
Oferecer as melhores ferramentas que facilitam o pagamento dos clientes é essencial, uma vez que os processos são cada vez mais digitais e ter apenas uma maquininha de cartão já não é mais suficiente. Para o comércio eletrônico, é preciso identificar plataformas integradas que consigam atender todas as demandas do lojista, de acordo com o modelo específico de atuação da empresa e a fase do negócio. A chegada do PIX é um exemplo de como o sistema financeiro de pagamentos tem avançado e como as pessoas demandam por processos mais rápidos e simples.

Gestão de estoque e pedidos
O controle de estoque e de pedidos é um ponto importante que o varejista precisa se atentar. Ter um sistema de gerenciamento é crucial para facilitar o dia a dia do negócio. A tecnologia entra neste caso quando se tem uma plataforma automatizada que controla pedidos, estoque e status da venda de forma simples, economizando tempo do lojista. Aqui é essencial ter um sistema ERP (Enterprise Resource Planning) ou Planejamento dos Recursos da Empresa que auxilia na automação de processos manuais, além de garantir o armazenamento das informações.

A gestão de entrega também precisa de atenção no caso dos e-commerces. Quem compra online, deseja ter controle da entrega de seu pedido e, mais do que tudo, não quer esperar muito para receber seu produto. Com inovação, este processo pode ser otimizado com um sistema de logística transparente conectado com transportadoras e empresas de entrega.

Relacionamento e canais de venda direta
Outro exemplo de como a tecnologia pode atuar é com a gestão de relacionamento. Para oferecer uma boa experiência de compra, a comunicação com o cliente é primordial. Com a utilização de canais digitais, é mais fácil se aproximar do consumidor, estabelecer uma fidelização e também desenvolver a base de leads. Canais como WhatsApp, e-mail e SMS funcionam muito bem se forem integrados à plataforma de e-commerce que oferece automação de comunicação seguindo as fases da jornada do cliente.

Multicanalidade
A estratégia omnichannel permeia todos os pontos citados acima. Um estudo encomendado pela Social Miner e Opinion Box revela que 31% dos consumidores querem comprar online um produto e retirar na loja física em 2021. E 64% dos que compraram online em 2020 anseiam continuar com o hábito neste ano.

A prática de consumir no e-commerce e retirar no varejo físico faz parte do processo multicanal (omnichannel). Este movimento já era esperado, mas a pandemia contribuiu para que a experiência omnichannel fosse acelerada. Por isso, já podemos observar empresas do setor que olham para esse novo varejo e investem no desenvolvimento de recursos para atender o varejo de forma completa, explorando a interdependência do físico e do digital a favor das marcas.

O objetivo da multicanalidade é colaborar para a jornada do consumidor e trazer a melhor experiência de compra, seja digital ou física. Mas no caso do varejo físico ela é fundamental, uma vez que o cliente não precisa mais sair de casa para comprar. Porém, se o lojista está preparado, ele vai criar artifícios que atraiam a atenção do comprador ao ponto físico.

Integração de marketplaces
Marketplaces são bons canais para vendedores diretos e agora podem ser grandes aliados das lojas virtuais. Se forem integrados com o e-commerce de forma assertiva, eles somam nas estratégias de alavancagem de vendas. Integrar a loja virtual a um marketplace também é uma forma de economizar investimentos de marketing, já que estes canais conseguem um bom alcance.

Mesmo com o afrouxamento da quarentena em alguns locais do País e com a chegada da vacina, que traz esperança para recuperação econômica, a crise causada pela pandemia nos ensinou uma boa lição sobre a necessidade de implementação de tecnologias no varejo, que sejam acessíveis e que contribuam para uma experiência de consumo de qualidade, sem que isso precise ser complexo. A inovação tecnológica e digitalização de processos tem se tornado cada vez mais presentes e serão essenciais às lojas que desejam se destacar no mercado.

*Denis Osório é sócio-fundador da Vnda, plataforma de varejo que oferece soluções omnichannel. Ele possui mais de dez anos de experiência no mercado digital com foco em e-commerce.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here