73% dos moradores do ABC apoiam lockdown; região registra 1087 mortes em março

Imagem: Freepik

O instituto de pesquisa ABC Dados divulgou na última segunda-feira (29) que a maioria da população das sete cidades apoia medidas mais restritivas na região para conter a pandemia. Ao serem questionados se apoiam o lockdown, ou seja, se são favoráveis que todos os serviços não essenciais sejam paralisados momentaneamente, 73% dos entrevistados responderam positivamente. São contra a medida 25%, enquanto 2% não souberam responder.

Foram entrevistados 1010 moradores do ABC, via questionário online distribuído aleatoriamente, entre 18 e 20 de março. A pesquisa tem margem de erro de 3%, para mais ou para menos.

É importante frisar que até o momento o lockdown não foi adotado em nenhum momento na região. As fases adotadas no Plano São Paulo, inclusive a fase emergencial, na qual estamos no momento, preveem diversas restrições, mas não a paralisação total dos serviços não essenciais.

A aprovação sobre o lockdown é maior em Santo André (81%) e menor em Diadema (51%). O apoio também é maior entre as mulheres do que entre os homens (79% x 66%) e entre os mais jovens em relação aos mais velhos.

Março é o mês mais letal

O instituto também divulgou, hoje (1°), o triste balanço sobre a pandemia em março. Foram registradas 1087 mortes em decorrência de covid-19 no mês, o pior resultado desde o início da pandemia. Na média, o ABC perdeu 44 vidas por dia no período.

Apesar da situação caótica e da aprovação sobre o lockdown aferida na pesquisa do ABC Dados, o cientista social e fundados do instituto, Marcos Soares, não acreditará que os prefeitos da região adotem a medida. “Embora a maioria que apoia a medida seja ampla, a parcela que não apoia é suficientemente grande e barulhenta para constranger os prefeitos”, avalia. “E, na prática, sem ajuda financeira não dá para fazer lockdown. O boicote do presidente está funcionando”, completa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here