Bancos suspendem demissões durante pandemia

Itaú e Santander se comprometeram a suspender as demissões dos trabalhadores no período de pandemia | Foto: reprodução

O Comando Nacional dos Bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) se reuniram por videoconferência, nesta última segunda-feira (23), para tratar sobre as atividades da categoria nos estabelecimentos bancários e as medidas a serem tomadas diante da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19). Os bancos responderam algumas das reivindicações última nesta terça (24).

Após pressão dos sindicatos, os bancos Itaú e Santander se comprometeram a suspender as demissões dos trabalhadores no período de pandemia, e manter o pagamento integral dos salários. O Banco do Brasil (BB) e Caixa, como são bancos públicos, têm maior estabilidade de emprego. O Bradesco ainda não se pronunciou oficialmente. Alguns bancos, como Itaú e Santander também anunciaram a antecipação do 13º salário para os trabalhadores e a redução do horário nas agências (ver lista abaixo).

A presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região, e uma dos coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, Ivone Silva, afirma que: “Os bancos são concessão pública e precisam manter seu papel social. Em um momento trágico que estamos vivendo, os bancos não podem pensar em garantir seu lucro, com manutenção de metas e demissões”, ressalta.

Ivone comenta ainda que há mais de 200 mil trabalhadores em home office no Brasil. “Reivindicamos que os bancos ampliem prazos de pagamento, com a suspensão dos vencimentos dos boletos por sessenta dias e a isenção de tarifas de transferências eletrônicas por mês (TED E DOC) para evitar aglomerações neste momento. Importante que se mantenha o atendimento somente a população em caso de emergência, com agendamento para não lotar as agências”, enfatiza.

O Comando dos Bancários também reivindica o contingenciamento das agências bancárias e demais unidades, com o agendamento para casos de atendimento presencial em caso de extrema necessidade; a suspensão das metas e a manutenção do atendimento não presencial das atividades consideradas essenciais pelo decreto 10.282/2020 (que estabelece em seu artigo 3º § 1º inciso XX que são atividades essenciais no setor financeiro: “compensação bancária, redes de cartões de crédito e débito, caixas bancários eletrônicos e outros serviços não presenciais de instituições financeiras”).

A coordenadora do Comando e presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira, lembra que o decreto editado pelo Governo Federal limita a atuação dos governos estaduais e dos prefeitos, em relação às atividades comerciais, que vinham sendo proibidas de abrir as portas em muitas regiões.

“Nesta quarta-feira, dia 25, tem pagamento dos aposentados, que tradicionalmente é um dos dias de maior movimento. A omissão do governo nesta crise é refletida nas agências lotadas durante toda a semana. As pessoas ainda não tomaram consciência de que precisam ficar em casa. Por isso, reivindicamos que o atendimento bancário nas agências seja limitado única e exclusivamente aos serviços necessários, com contingenciamento de pessoas”, afirma.

Já as atividades consideradas essenciais das instituições financeiras são a compensação bancária, a redes de cartões de crédito e débito, os caixas bancários eletrônicos e outros serviços não presenciais. “Já que o governo não faz sua parte, nós precisamos fazer a nossa, para proteger a saúde dos trabalhadores, que estão se arriscando por toda a população”, completa Juvandia.

Entre as reivindicações do Comando Nacional estão a suspensão das metas; redução da jornada para os que tiverem que ir ao local de trabalho; suspensão das demissões; home office e isenção de tarifas (clientes com renda até dois salários mínimos) de três transferências eletrônicas mês (TED E DOC). Importante também os atendimentos presenciais necessários à sobrevivência do cliente e usuário como, por exemplo, os idosos que têm dificuldade de retirar sua aposentadoria ou tiveram seu cartão danificado. Haverá atendimento a casos urgentes que necessitam atendimento presencial, com agendamento para evitar aglomerações e exposições de trabalhadores e clientes a riscos.

Posicionamentos dos bancos

Bradesco: o Bradesco informou que vai adotar horário reduzido nas agências, com revezamento de bancários, e contingenciamento na entrada, para evitar aglomerações nas unidades, além de promover campanha para que utilizem os canais digitais, como medidas de proteção contra a pandemia do coronavírus.

Santander: já havia atendido algumas das demandas dos trabalhadores em relação a não demissão durante o período de pandemia, ao fechamento de agências e rodízio entre os bancários e na criação de um canal de comunicação para suspeita de contaminação por coronavírus, para que os trabalhadores possam ser monitorados, além do adiantamento integral do 13° e da inclusão de grávidas no grupo de risco.

Itaú: alterou, desde a última terça-feira (24), o horário de atendimento de suas agências bancárias por todo o Brasil, por conta da pandemia do coronavírus (Covid19). As agências terão atendimento prioritário das 9h às 10h ao público de risco listado pelo banco: aposentados, beneficiários INSS, idosos e gestantes. Das 10h às 14h o atendimento será feito em contingência para público geral. As orientações são válidas por prazo indeterminado, até o final da pandemia. O banco Itaú também anunciou que antecipará o pagamento do 13° salário integralmente aos funcionários até 27 de abril. A medida visa amparar financeiramente os bancários diante da crise provocada pela pandemia do coronavírus.

Caixa: segundo comunicado da Caixa, esses 70% em home office deverão fazer atendimento via Whatsapp, por meio das ferramentas das agências digitais que estão sendo liberadas para as agências físicas. Deverão ainda executar as demais atividades operacionais da agência através das ferramentas de home office.

Banco do Brasil: Enviou um comunicado na última segunda-feira (23) orientando os gestores de unidades voltadas para o atendimento ao público a priorizar os serviços de abastecimento e funcionamento de todos os terminais das salas de autoatendimento. O comunicado informa ainda que o atendimento presencial deve ser prestado somente em casos essenciais e de forma excepcional para os casos, por exemplo, de desbloqueio de senha, desbloqueio de cartão e os saques benefícios sociais sem cartão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here