Sem novas internações há 1 mês, São Caetano fecha Hospital de Campanha

Foto: Eric Romero/PMSCS

A Prefeitura de São Caetano do Sul encerrará amanhã (15) as atividades do Hospital de Campanha, que funciona no antigo Hospital São Caetano, no Bairro Santo Antônio. Reativado no dia 20 de março, quando o País atravessou o período mais grave da pandemia do coronavírus, o equipamento funcionou por quase seis meses com estrutura para atender os casos de baixa e média complexidades, com 48 leitos de Enfermaria e 30 de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Desde a primeira quinzena de agosto o hospital não recebe mais novas internações. O encerramento será junto à alta aos três últimos pacientes, que estão na Enfermaria.

O Hospital de Campanha garantiu o isolamento necessário dos pacientes infectados pelo coronavírus, configurando-se em uma estratégia fundamental para a contenção da disseminação do vírus e para o atendimento mais adequado às pessoas com covid-19. A Enfermaria funcionou no 4º andar do Hospital São Caetano, enquanto que o 3º andar ficou reservado para a UTI, regulada pelo Estado. Ao longo dos meses foram 329 internações em Enfermaria e 96 na UTI.

Nos meses em que a pandemia atingiu o estágio mais grave (março e abril), o hospital internou respectivamente 67 e 73 pessoas em Enfermaria (a UTI foi aberta em maio). Em agosto o número foi de 18 internações em Enfermaria e 20 em UTI.

“Durante a primeira quinzena deste mês de setembro, ficamos com quatro pacientes internados, sendo dois em Enfermaria (que terão alta nesta quarta) e dois em UTI, um deles já teve alta. Desde a segunda quinzena de junho observamos queda na taxa de ocupação de nossos hospitais. Ainda assim, vamos manter a estrutura do Complexo Hospitalar, que é robusta e atende bem nossa demanda atual com 48 leitos de Enfermaria e 50 de UTI”, afirma o secretário de Saúde, Danilo Sigolo.

Mais de 160 profissionais foram contratados para o Hospital de Campanha (médicos, enfermeiros, outros profissionais de saúde, recepcionistas, porteiros, seguranças e auxiliares de limpeza, entre outros). Todos capacitados a atuar nesta situação extraordinária.

O custo de manutenção do Hospital no último mês foi de cerca de R$ 2 milhões. O valor cobriu os custos de internações, serviços especializados, locação do parque de equipamentos, serviços técnicos laboratoriais e de diagnósticos, além da equipe de profissionais.

“Seguimos trabalhando com muita seriedade e responsabilidade no enfrentamento da pandemia e, consequentemente, no atendimento da nossa população. As reuniões com nosso Comitê de Emergências para estratégias de combate à pandemia continuam acontecendo com a mesma frequência e analisando todos os dados da cidade, norteando a equipe para a tomada de qualquer decisão”, afirma o prefeito Tite Campanella.

Com a sensação de dever cumprido, o médico coordenador do Hospital de Campanha, Arthur Felipe Rente, comemora o resultado de um trabalho bem feito junto com toda sua equipe. “Pegamos várias fases da pandemia, dos piores dias quando atingimos picos de internação, aos bons resultados com a queda de internações, reflexo do alto índice de população vacinada. Acompanhamos muitas pessoas que deixaram seus familiares com o rosto agoniado e a festa do reencontro. São dezenas de histórias de superação e a certeza do nosso dever cumprido de forma humana e parceira.”

Aberto pela primeira vez em 17 de abril de 2020, o Hospital de Campanha de São Caetano recebeu 193 pacientes (dos quais 190 se recuperaram) até 26 de agosto do ano passado, quando o funcionamento foi interrompido pela primeira vez em virtude da diminuição dos casos de covid-19 na cidade na época e a baixa taxa de ocupação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here