Cebrac adapta cursos para idosos

Em 20% das famílias brasileiras, a renda do idoso representa metade da receita da casa, segundo dados do Ipea | Foto: Freepik

Com a crise ocasionada pelo novo coronavírus, uma das camadas da sociedade mais atingida foram os idosos. Mais de 1,3 milhão de idosos deixaram de trabalhar ou de procurar emprego, na comparação do primeiro trimestre de 2020 com o mesmo período de 2019, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para facilitar a inserção dos idosos no mercado de trabalho e vencer qualquer preconceito, o Centro Brasileiro de Cursos (Cebrac) adaptou os cursos para atender essa população.

De acordo com a superintendente do Cebrac, Luciana Fontes: “O preocupante desse número é que 5 milhões de famílias têm como renda apenas a renda do idoso. Em 20% das famílias, a renda do idoso representa metade da receita da casa. Esses números são preocupantes e foram revelados pelo Ipea”, comenta.

Além do impacto econômico na rotina familiar, o idoso sem ocupação tem impacto na sua saúde mental e física. Já o responsável por desenvolver cursos profissionalizantes para todas as idades no Cebrac, Jefferson Vendrametto, avalia a situação: “Uma coisa é o idoso optar pela aposentadoria, ter essa garantia financeira e ocupar a mente com cursos, leitura e convivência com outras pessoas. Outra coisa é ele não ter acesso a recursos financeiros para se manter, querer exercer uma ocupação para a mente e se manter financeiramente e o mercado de trabalho não abrir oportunidade a ele por conta da idade. Por preconceito”.

Além disso, a rede de cursos profissionalizantes direciona esses estudantes para vagas de trabalho, por meio da agência Cebrac Empregos. Vários alunos do CEBRAC são pessoas acima dos 60 anos como a senhora Maria Amelia, de 78 anos, que, atualmente, está aprendendo a mexer no celular e faz o curso de “Assistente Administrativo”.

Segundo uma pesquisa desenvolvida pela Bayer, 22,8% dos idosos, em todas as regiões do Brasil, nunca leem ou praticam atividades que estimulem o cérebro. Isso pode acarretar no aparecimento de Alzheimer precoce e outras doenças, como depressão.

” Aprender administração, na idade que estou, é muito gratificante. Gosto muito dos meus amigos do Cebrac, professores, e de todo o cuidado que eles têm comigo. É desafiador e bom fazer o curso”, conta a senhora Maria.

Idosos
O mês de outubro é conhecido também como o mês do idoso, pois no Brasil o Estatuto do Idoso foi criado em outubro de 2003, e foi instituído o Dia Nacional do Idoso (1º). Já o Dia Internacional da Terceira Idade que também ocorre todo em 1° de Outubro foi criado pela Organizações das Nações Unidas (ONU), em 1991. São datas criadas há 29 anos, ou seja, um período curto e que tem o intuito de recordar a sociedade do direito das pessoas mais maduras, entre eles, está o acesso à saúde digna e qualidade de vida. Segundo o estatuto, é considerado idoso pessoas com 60 anos ou mais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here