Especialista explica o que pode estar por trás do “nó na garganta”

Quando a sensação de que há algo na garganta permanece, mesmo em situações nas quais não há gatilhos emocionais, pode ser que exista alguma enfermidade, alerta o otorrinolaringologista Cícero Matsuyama | Foto: Freepik

Todo mundo conhece a sensação de repente a garganta fecha, a boca fica seca, as palavras parecem não querer sair. Situações que causam fortes emoções costumam provocar esse conhecido incômodo: o “nó na garganta”. O otorrinolaringologista do Hospital Cema, Cícero Matsuyama, comenta esta situação, que pode ir além das emoções.

“Esse desconforto que sentimos quando estamos emocionalmente acometidos ocorre por uma reação do corpo causada por substâncias químicas conhecidas como catecolaminas endógenas, que são produzidas em determinadas glândulas”, explica Matsuyama. Os órgãos “alvo” dessas substâncias são justamente a garganta, boca, coração, pulmão e estômago.

Quando a sensação de que há algo na garganta permanece, mesmo em situações nas quais não há gatilhos emocionais, pode ser que exista alguma enfermidade. “Lesões na faringe e laringe (cordas vocais e estruturas adjacentes) ou nas glândulas salivares podem causar esse sintoma”, alerta o especialista.

Além disso, o refluxo, problemas de tireoide, doenças genéticas – como distrofia miotônica (caracterizada por fraqueza e atrofia muscular), e, em casos mais raros, câncer, podem ter como um dos indicativos a sensação de bolo na garganta.

“É importante que o paciente que apresenta esse sintoma constantemente procure um especialista, para que ele faça um exame clínico cuidadoso. Não é comum que as pessoas sintam essa sensação o tempo todo. Por isso, é importante considerar, primeiramente, todas as possibilidades orgânicas por meio de exaustiva pesquisa clínica e laboratorial”, recomenda Matsuyama.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here