Quilombo da Fazenda, em Ubatuba, abre as portas ao público para vivência

A viagem acontece no final de semana de 20 a 22 de março, com uma série de atividades para conectar os viajantes com a ancestral cultura quilombola | Foto: Reprodução

O final de semana de 20 a 22 de março promete oferecer uma experiência única a viajantes que buscam um turismo consciente e de conhecimento sobre comunidades tradicionais. Pela segunda vez em 2020, o Quilombo da Fazenda, em Ubatuba/SP, será palco de uma programação que conectará o público com a aos saberes ancestrais da cultura quilombola. A viagem é organizada pela Plana.

Realizada em parceria com a gestão do Turismo de Base Comunitária do Quilombo da Fazenda, “a viagem tem por objetivo promover um espaço de aproximação, troca e conexões entre os viajantes e a comunidade local”, destaca Liliane Jacintho, empreendedora social e sócia da Plana.

A Comunidade Remanescente do Quilombo da Fazenda, reconhecida pela Fundação Palmares desde 2005 e atualmente em processo pela titulação do território, é formada por cerca de 50 famílias descendentes de africanos escravizados, que hoje carregam consigo toda herança cultural e histórica, preservando saberes tradicionais que serão compartilhados com os viajantes durante o final de semana.

A Vivência Histórias do Quilombo será a 15ª e a segunda deste ano realizada pela agência de turismo de experiência Plana. “Será uma viagem especial, bem direcionada às histórias do quilombo. O intuito é promover interação entre o viajante e a comunidade a partir do diálogo e estimular a valorização da oralidade na preservação cultural”, ressalta Samanta Mazzolini, empreendedora social e sócia da Plana.

Programação

A programação é composta por roda de conversa com um líder da comunidade quilombola, o Seu Zé Pedro, em um momento singular para aprender sobre uma história que não é contada nos livros escolares. Durante a prosa, os participantes poderão ouvir muitos causos e contos, reforçando a importância da valorização da oralidade para a preservação cultural.

Haverá também oficina de produção artesanal de farinha, ocasião para aprender na teoria e na prática todo o processo da produção, desde o plantio da mandioca, passando pelas etapas de produção até a finalização da farinha, tudo isso com o acompanhamento de um morador local.

Como a vivência acontece no meio da Mata Atlântica, na Serra do Mar, uma bela trilha faz parte da programação, com direito a banho de cachoeira ao final! A Trilha do Jatobá é uma excelente oportunidade para apreciar a natureza e aprender sobre a íntima relação de interdependência dos quilombolas e a floresta.

E, claro, na vivência não pode faltar música e dança! Os participantes vão entrar na roda junto com o “Grupo Ô de Casa”, ao som dos tambores do Jongo, uma manifestação cultural tradicional e muito representativa herdada dos ancestrais africanos.

Além das trocas de experiências e sentimentos que permeiam toda a vivência, há também os sabores, já que a alimentação é uma manifestação da cultura, de respeito e de cuidado com o outro. Os viajantes poderão provar deliciosos pratos tradicionais da cultura quilombola e caiçara, tudo incluído no valor da vivência.

Além da inesquecível e transformadora experiência propiciada pela viagem, os participantes estarão contribuindo para o fortalecimento comunitário, o resgate e a valorização da cultura quilombola e a geração de renda sustentável na comunidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here