Suplementação de colágeno: o método rejuvenescedor funciona?

*Por Lilian Odo 

Nos últimos anos, a suplementação de colágeno vem se tornando uma tendência para o rejuvenescimento da pele. Mas ainda há muitas dúvidas sobre o que é, como funciona e sua verdadeira eficácia.

Mas antes de tudo: o que são fibras colágenas?

São estruturas protéicas que fazem parte da matriz extracelular da pele, importantes para a arquitetura e funções fisiológicas cutâneas. À medida que envelhecemos, tem sua qualidade e quantidade negativamente afetadas e, por isso, adquirimos uma pele enrugada, fina e flácida.

Sobre o uso e segurança

Na pele envelhecida foi demonstrado que a ingestão de peptídeos de colágeno promove um aumento do teor de colágeno I e III, e de ácido hialurônico na matriz dérmica melhorando a hidratação da pele, uma maior coesão e menor fragmentação das fibras.

É imprescindível que o tratamento seja receitado por um médico, para garantir o uso da substância na composição, dosagem e ingestão correta, pois há vários tipos de colágeno e a quantidade certa varia para cada finalidade. Além disso, às vezes é necessário combiná-lo com antioxidantes, vitaminas e minerais para ter um melhor efeito.

A suplementação dietética pode ser útil, principalmente durante ou logo após os tratamentos que visam estimular a formação de novas fibras de colágeno como: ultrassom microfocado, radiofrequência, microagulhamento, laser fracionado e aplicação de bioestimuladores na pele.

Existem, também, suplementos de colágenos de venda livre em farmácias que, devido à falta de regulamentação, podem ter ingredientes de qualidade extremamente duvidosa, serem ineficazes ou até mesmo prejudiciais à saúde. Fique longe!

Ação comprovada ou modismo?
A suplementação de colágeno não se trata de um modismo sem base. O estudo Oral Collagen Supplementation: A Systematic Review of Dermatological Applications (Suplementação Oral de Colágeno: Uma Revisão Sistemática das Aplicações Dermatológicas, em tradução livre), publicado no jornal acadêmico Journal of Drugs in Dermatology, mostrou resultados promissores e seguros, seja para uso a curto ou longo prazo.

A pesquisa foi realizada com 805 pacientes, e aqueles que tomaram o suplemento apresentaram suavização das linhas de expressão e melhoras significativas na regeneração da pele, enquanto o grupo que recebeu um placebo não apresentou evolução. É cientificamente comprovado que a suplementação de colágeno beneficia a pele aumentando a elasticidade, hidratação e densidade do colágeno dérmico.

*Lilian Odo é dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e da Academia Americana de Dermatologia. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here