Empresas brasileiras precisam investir mais em gestão inclusiva

Brasil está em 7º lugar entre os países que investem em inclusão e diversidade na força de trabalho | Foto: Freepik

Ranking global produzido pelo Kantar Inclusion Index colocou o Brasil no 7º lugar na lista de países com companhias que investem em inclusão e diversidade na força de trabalho. Os índices destacam o País como um dos mercados que ainda engatinham no quesito gestão diversa e inclusiva. O estudo foi realizado entre abril e junho de 2019, com colaboradores de empresas de 14 países.

Os dados apontam que 34% dos colaboradores de companhias brasileiras disseram enfrentar obstáculos relacionados a gênero, idade, etnia e orientação sexual em suas carreiras e 22% sentem que as oportunidades não são direcionadas às pessoas mais merecedoras.

Na contramão desta realidade, desponta o Grupo Sabin, reconhecido nacional e internacionalmente pela gestão alicerçada em valores como, por exemplo, ética e responsabilidade socioambiental. Recentemente, o grupo foi eleito uma das melhores empresas para trabalhar no ranking GPTW 50+, premiação que reconhece as companhias brasileiras que valorizam os colaboradores acima dos 50 anos de idade, por meio de práticas inclusivas e inovadoras.

A empresa segue desenvolvendo projetos e investindo de forma continuada no engajamento dos seus colaboradores, atuando nas 296 unidades distribuídas em todo o País, com destaque para o “Comitê de Diversidade & Inclusão”, criado em 2018, o projeto é constituído por cinco pilares: gênero, raça, LGBTQI+, pessoa com deficiência e multigerações.

Segundo a presidente executiva do Grupo Sabin, Lídia Abdalla: “O comitê foi cuidadosamente estruturado para fortalecer a cultura participativa e garantir o sucesso de ações que estimulam a diversidade e a inclusão dentro da empresa. Ele também ajuda a acompanhar metas e evoluções relacionadas ao tema, como a integração da representatividade de diferentes grupos sociais dentro da empresa”, destaca.

“No Sabin sabemos que não há inovação sem diversidade, sem encontros enriquecedores de gerações, de ideias. Estimulamos o debate em favor de novos conceitos, novos projetos, que são fundamentais para construir um futuro promissor”, destaca a executiva. São Iniciativas como esta que inspiraram Ana Maria Monteiro, de 60 anos, a buscar uma colocação no mercado de trabalho e foi no Sabin que ela encontrou a oportunidade de continuar escrevendo sua história profissional e pessoal. Hoje, a Coordenadora de Relacionamento com Convênios e Empresas do Sabin celebra a chance de mostrar seu talento e experiência em uma empresa que é sinônimo de valorização, igualdade, equidade e diversidade.

“Tenho 38 anos de experiência e sinto que ainda tenho muito a contribuir. Desde que cheguei em Brasília, busquei no Sabin a oportunidade de mostrar como minha experiência profissional agregaria ainda mais valor à empresa. Ano passado, quando soube da oportunidade em fazer parte do grupo, não pensei duas vezes. Queria ter a experiência fazer parte deste grupo e ela tem sido fantástica. Uma experiência ímpar de reconhecimento, de acolhimento”, relata Ana Maria.

A história dela se junta com outras centenas de profissionais da empresa, que hoje conta com mais de 5,4 mil colaboradores, deste total, cerca de 7% integram o grupo 50+ e 8,85% em cargos de liderança.

Referência em medicina diagnóstica, o Grupo Sabin coleciona títulos pelas boas práticas de gestão. Em maio deste ano, pelo 14º ano consecutivo está no ranking da GPTW Latam, pela cultura organizacional em destaque, entre as companhias que atuam em favor da construção de uma sociedade melhor, por meio uma política de gestão que propicia um ambiente de trabalho positivo e saudável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here