Ferramentas da Totvs impulsionam atuação da Marba

0
577
A Marba foi criada em 1960, no bairro do Ipiranga, em São Paulo | Foto: Julio Bittencourt

No site oficial da Marba, fabricante de defumados e frios, reconhecida especialmente por conta da sua mortadela, consta a seção “Sobre Nós”, área na qual os clientes podem conhecer um pouco sobre a trajetória da empresa.

Por lá é possível saber, dentre outras coisas, que o negócio foi criado em 1960, no bairro do Ipiranga, em São Paulo, pelos senhores que dão origem ao nome da empresa: Mário e Basílio (Mar + Ba). A linha do tempo informa que o galpão do bairro paulistano ficou pequeno demais para a empresa e, em 1978, ela foi transferida para o bairro da Paulicéia, em São Bernardo do Campo, onde mantém a fabricação até hoje. Outro ano em destaque é 2009, ocasião da inauguação de uma nova unidade de produção do frigorífico, em Taquaritinga, interior de São Paulo.

Contudo, na linha do tempo do site não consta uma informação que a princípio soe sem importância para o público em geral, mas que é de grande relevância no cotidiano da marca. Há 25 anos, Marba e Totvs iniciaram uma parceria.

A executiva de Vendas da Totvs, Deuzilene Silva, e o coordenador de TI da Marba, Leandro Eduardo dos Santos, celebram a parceria das empresas | Foto: divulgação

O atendimento ao frigorífico é motivo de orgulho para a unidade Serra do Mar da empresa de software. As plataformas Totvs auxiliam os trabalhos da Marba e estão presentes em todas as áreas da empresa.

Mais que isso: a parceria com a Totvs “obriga” o frigorífico a inovar e a sempre aperfeiçoar os processos internos, como conta o coordenador de Tecnologia da Informação (TI) da Marba, Leandro Eduardo dos Santos.

O executivo comenta que os softwares da Totvs estão sempre em evolução e constantemente têm novas funcionalidades agregadas. “Quando a gente olha a ferramenta e observa que tem muita coisa que nós não estamos utilizando, surge o alerta. ‘Olha, nós precisamos evoluir também’”, conta o coordenador. Esse é um dos momentos em que a executiva de Vendas da Totvs, Deuzilene Silva, é acionada.

“Nesse momento a gente chama a Deuzilene e pede, por exemplo, para ela mostrar o potencial completo da área de Módulo Financeiro. Ela mostra e com a equipe financeira a gente constata que tem bastante coisa para melhorar do nosso processo. Aí a gente desenha um projeto para operacionalizar o nosso processo e extrair o máximo da ferramenta”, explica Santos.

Em outros momentos, demandas externas também fazem com que Deuzilene seja acionada. Foi o que aconteceu quando a Marba começou a trabalhar para atender as exigências do e-Social, programa do governo federal que busca unificar e informatizar todos os dados sobre trabalhadores. “Todo mundo se assustou um pouco (com a chegada do e-Social). Para a gente é bom. Não tem coisa melhor para o TI do que tudo ser informatizado, ter alto nível de controle. Mas assusta”, confessa Santos.

Para se adequar ao programa, a empresa foi obrigada a usar ferramentas que a Totvs já oferecia, mas que antes não eram utilizadas por falta de necessidade. Deuzilene relembra a ocasião: “O que que fizemos: o Santos me acionou, eu trouxe um profissional desse módulo específico, ele fez uma apresentação paras as áreas envolvidas e aí desenhamos um projeto em cima disso. Agora vai entrar o e-Social e esse módulo está parametrizado, de acordo com a demanda e para atender as exigências do governo”.

Apoio aos colaboradores
Como citado por Deuzilene, profissionais da Totvs, sempre que necessário, prestam suporte técnico aos colaborares da Marba. O que ocorre, geralmente, quando novos padrões operacionais são aplicados aos processos internos.

Por vezes, esses novos processos sofrem alguma resistência por parte dos colaboradores – o que é visto como algo natural por Santos e toda equipe de TI da corporação, composta por nove membros. “Falando de chão de fábrica, o que a Totvs mais trabalhou aqui foi a conscientização da necessidade de melhorar, principalmente quando a gente fala de processos que estão há muitos anos iguais”, sublinha.

Além da conscientização, a resistência perde força com o passar das semanas e com a percepção dos trabalhadores de que as mudanças refletem, de fato, em melhorias nas atividades cotidianas. “A conscientização é constante, desde o primeiro momento, quando a Deuzilene vem apresentar uma ferramenta, já começa a conscientização. Sempre visando o resultado que ele vai trazer. Não teve nenhum projeto até hoje que a gente implantou e a resistência venceu o resultado”, afirma o coordenador.

A cereja do bolo
Santos começou a trabalhar na Marba com 20 anos, em 2008, fala com bastante desenvoltura sobre os processos internos da empresa e se sente bem à vontade para cravar que a “cereja do bolo” da parceria com a Totvs ainda está por vir.

Atualmente, as duas partes trabalham na implantação do Poophix, sistema de planejamento e gestão orçamentária da Totvs. Na avaliação do profissional de TI, era o que “faltava” para preencher todas as lacunas de gestão do frigorífico. A ferramenta possibilitará que os profissionais façam simulações de cenário nos que diz respeito a orçamentos e metas. “A expectativa da empresa é altíssima”, revela.

No momento, 25% do processo de implantação do Poophix foi concluído e, atualmente, o setor que está sendo trabalhado é o de Recursos Humanos. Até o fim do 2020, a ferramenta já deve estar 100% em operação.

Santos ressalta que a parceria com a Totvs impulsiona a atuação da Marba em diversas maneiras e define o relacionamento entre as partes como “transparente e dinâmico”. Deuzilene também destaca o relacionamento entre as empresas e enaltece os resultados obtidos, fator que faz com que a parceria dure por tanto tempo e seja considerado um dos cases mais bem-sucedidos na unidade Serra do Mar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here