Nubank compra Easynvest

Com a aquisição, o Nubank se torna líder em investimentos digitais no Brasil | Foto: Paulo Whitaker/Reuters

O Nubank, o maior banco digital independente do mundo, anunciou na última nesta sexta (11) a compra da Easynvest, maior corretora de investimento digital, com 1,5 milhão de clientes. A aquisição marca não apenas a entrada no novo mercado como alça o Nubank à liderança entre as plataformas digitais de investimento.

A novidade é comentada pelo fundador e CEO do Nubank, David Vélez. “Nos últimos sete anos, temos desafiado o status quo para criar uma nova geração de serviços na América Latina. Já libertamos 30 milhões de pessoas da complexidade do sistema financeiro, por meio de serviços e produtos práticos, convenientes e, principalmente, totalmente focados no cliente. O nosso desejo é fazer isso também no setor de investimentos”, afirma.

Já o CEO da Easynvest, Fernando Miranda, destacou o posicionamento da empresa. “Nosso principal objetivo sempre foi promover o acesso das pessoas a investimentos, para que pudessem ter o maior rendimento de seu dinheiro. Agora com o Nubank, poderemos potencializar esse propósito e levar os serviços para ainda mais pessoas no Brasil e América Latina”.

O movimento do Nubank acontece em um momento de franca expansão do setor de investimentos no Brasil, devido, sobretudo, ao cenário de baixas taxas de juros. O número de investidores pessoa física aumentou 76% entre dezembro do ano passado e agosto deste ano e está quase em 3 milhões, segundo dados da própria B3. Além disso, estimativas do setor apontam que o volume de ativo sob custódia pode passar de R$ 3 trilhões em 2020 para mais de R$ 5 trilhões em 2025.

A maior parte desse crescimento deve vir por meio de plataformas digitais. Uma pesquisa da McKinsey aponta que 93% dos investidores brasileiros se dizem confortáveis em usar canais digitais para investir e 61% afirmam se sentir confortável em tomar as próprias decisões de investimentos, sem um assessor direto.

“O mercado de investimentos no Brasil ainda é muito complexo, com produtos caros e muitas distorções. Quanto menos favorecido o cliente, piores são as opções de investimentos. Vamos solucionar isso, replicando o modelo Nubank de levar simplicidade e eficiência para as pessoas, usando tecnologia e difundindo o nosso valor de foco total no cliente. E encontramos na Easynvest um parceiro que compartilha dos mesmos valores e do propósito de democratizar o acesso aos serviços financeiros”, complementa Vélez.

Por enquanto, nada muda para os clientes das duas plataformas. As empresas permanecem operando normalmente e de maneira independente. Um grupo de trabalho será formado para planejar os próximos passos de integração dos serviços, a ser iniciada após aprovação dos reguladores – a compra da Easynvest será submetida ao Banco Central e ao CADE.

Esta é a terceira aquisição do Nubank em 2020. O banco digital comprou a consultoria de tecnologia Plataformatec no começo do ano e adquiriu a empresa americana de engenharia de software Cognitect dois meses atrás. O movimento demonstra que o banco digital está superando a pandemia com ainda mais solidez – começou o ano com 19 milhões de clientes e hoje já são cerca de 30 milhões.

A aceleração da tendência digital levou, inclusive, a consolidar a base de consumidores de faixas etárias mais avançadas. Mais de 30 mil pessoas acima de 60 anos abriram contas a cada mês, desde o início do isolamento social. Entre abril e junho, o volume de novos clientes nessa faixa foi 50% maior do que no mesmo período do ano passado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here