Pequenos empreendedores buscam alternativas para manter o negócio

A rede de choperia Gela Guela diz que precisa manter 30% do faturamento e aposta no comércio online, produtos exclusivos, bônus e descontos para clientes

A rede Gela Guela conta com quatro lojas físicas, situadas em shoppings na região do ABC | Foto: Reprodução

Desde que foram adotadas medidas de combate à pandemia causada pelo coronavírus, muito se fala sobre os impactos econômicos para o País, especialmente para os pequenos empreendedores, que contam com menor poder aquisitivo para manutenção do negócio. E diante da instabilidade e incerteza, empresários buscam por soluções que os ajudem a passar pelo período sem grandes danos. No ABC, a rede Gela Guela resolveu apostar no e-commerce, destacando produtos exclusivos, e na oferta de bônus para os clientes que continuarem comprando durante a crise.

“Vamos oferecer 20% – em relação ao total da compra – de bônus aos clientes que se mantiverem ativos durante essa fase. O consumidor faz a compra on-line e pode escolher se quer desconto no frete ou se quer levar mais em produtos”, explica Anderson Martins, proprietário da rede Gela Guela. “Também vamos comercializar vouchers que garantem melhor preço na aquisição de qualquer produto da loja e fazer a entrega depois que a situação estiver controlada”, completa.

O empresário destaca que está investindo na oferta de produtos exclusivos, como a caneca artesanal produzida com madeira de barril de carvalho europeu: “é um item novo em nossas lojas e que, por enquanto, só está disponível para compra on-line e antecipada – a pessoa compra um voucher, garante a sua peça, e recebe tão logo as operações logísticas estejam normalizadas”, esclarece Anderson. O empreendedor comenta ainda que o produto oferece um aroma suave de whisky ao Chopp e que só encomendou 250 peças para o comércio antecipado e lembra que além da caneca de 600ml, as lojas também oferecem mini barril, de 1 litro, confeccionado com a mesma matéria prima: madeira de carvalho europeu.

É com essas medidas que o proprietário da rede pretende manter o negócio: “precisamos conseguir aproximadamente 30% do nosso faturamento normal para não ficarmos sem nenhuma receita e garantirmos, pelo menos, a manutenção do negócio, o emprego dos funcionários e a certeza de não falir, apesar do fechamento dos shoppings, onde funcionam nossas lojas”, declara. “Desde o começo dessa crise, já deixamos de faturar cerca de R$ 300 mil”, lamenta.

A rede Gela Guela conta com 4 lojas físicas, situadas em shoppings no Grande ABC e região e que, juntas, empregam cerca de 30 pessoas e faturam, em média, R$ 5 milhões por ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here