ZF apresenta resultados de 2019 e se prepara para um ambiente de mercado desafiador

“Reagimos rápida e decisivamente à questão do Covid-19 e harmonizamos os interesses de nossos colaboradores aos da ZF”, aponta o CEO da ZF, Wolf-Henning Scheider | Foto: Divulgação

Em um ambiente desafiador, a ZF Friedrichshafen AG alcançou suas metas de 2019, que foram revisadas em meados do ano. Com 36,5 bilhões de euros, as vendas do Grupo – ajustadas pelos efeitos cambiais e atividades de fusão e aquisição (M&A) – ficaram um pouco abaixo do valor do ano anterior, que foram de 36,9 bilhões de euros (organicamente menos 1,9 ponto percentual). O EBIT ajustado totalizou 1,5 bilhão de euros enquanto em 2018 foram 2,1 bilhões de euros. A margem EBIT ajustada foi de 4,1%, sendo 5,6 % em 2018. No final de dezembro, a ZF tinha 147.797 colaboradores em todo o mundo, sendo 148.969 em 2018. Além de suas prioridades imediatas para lidar com as consequências do coronavírus, a ZF está seguindo suas estratégias de longo prazo relacionadas à “Next Generation Mobility” para moldar as necessidades de mobilidade do futuro.

“Atualmente, estamos testemunhando como os mercados estão entrando em colapso da noite para o dia”, disse o CEO da ZF, Wolf-Henning Scheider na quinta-feira, em Friedrichshafen. “Na ZF, reagimos rápida e decisivamente à disseminação do novo coronavírus e priorizamos a saúde e os interesses de nossos colaboradores, alinhados aos da empresa, da melhor maneira possível. Nosso objetivo é de seguir as estratégias da ZF, garantindo emprego e renda sempre que as ferramentas apropriadas estiverem disponíveis. Ao fazer isso, estamos agindo de maneira socialmente responsável e contribuindo para proteger a saúde de nossos profissionais. Além disso, podemos ajudar a estabilizar a situação econômica, volátil para todas as empresas atualmente”.

Scheider enfatizou que a ZF permanece confiante mesmo com a seriedade desta situação e se prepara para intensificar suas fábricas na Europa e nos EUA, após os clientes retomarem a produção. Na Ásia a produção já foi retomada. “Continuaremos ao lado de nossos clientes e fornecedores como um parceiro de negócios confiável – e apoiando-os quando precisarem de nós”.

Números de 2019 são caracterizados por maiores gastos e volatilidade do mercado

As vendas da ZF Group em 2019 ficaram em 36,5 bilhões de euros, abaixo do valor do ano anterior, que foi de 36,9 bilhões de euros. Ajustadas pelos efeitos cambiais e de atividades de fusões e aquisições (M&A), as vendas orgânicas caíram 1,9%. “O clima econômico geral e os desafios especialmente relacionados à transformação de nossa indústria tiveram um impacto tangível em nossos negócios no ano passado”, explicou Scheider. “Independentemente disso, recebemos vários pedidos de grande volume, por exemplo, para a próxima geração de nossa transmissão automática de 8 velocidades com capacidade híbrida e também para acionamentos eixo de tração elétrica voltados a carros e ônibus”.

O EBIT ajustado totalizou 1,5 bilhão de euros (2018: 2,1 bilhões de euros); a margem EBIT ajustada caiu para 4,1%, sendo 5,6% em 2018.  Os ganhos foram afetados por maiores investimentos com pesquisa e desenvolvimento (P&D) e pela criação de novas instalações para produção de inovações como acionamentos elétricos na Alemanha, Sérvia e China. A desaceleração econômica na indústria automotiva também se reflete no resultado. O fluxo de caixa livre ajustado para fusões e aquisições totalizou 803 milhões de euros, sendo 891 milhões de euros em 2018.

A ZF reagiu de maneira consistente aos mercados mais frágeis, revisou e adiou investimentos e utilizou a flexibilização de operações como um instrumento em várias localidades. “Conseguimos ajustar nossa estrutura de custos às alterações no mercado”, disse o Dr. Konstantin Sauer, CFO da ZF. “Isso permitiu que os resultados da ZF permanecessem dentro do previsto, que foi revisado em meados de 2019. No entanto, esses números não atendem nossos objetivos estratégicos de longo prazo. Portanto, continuamos a trabalhar em nossa estrutura de custo para atingir novas melhorias. ” O aumento da digitalização dos processos de negócios também deve contribuir para isso.

Os investimentos em ativos imobilizados totalizaram 1,9 bilhão de euros (2018: 1,6 bilhão de euros). Com 5,2%, a taxa de investimento foi significativamente maior do que em 2018, que registrou 4,3%.

O CFO comenta que o financiamento da aquisição planejada do fabricante de freios para veículos comerciais Wabco foi um sucesso. Para esse fim, a ZF colocou títulos e empréstimos garantidos no valor de 4,8 bilhões de euros no mercado de capitais em outubro passado. “Muito mais investidores demonstraram interesse em se inscrever do que oferecemos para esse financiamento”, disse Sauer. “Isso mostra que o mercado financeiro vê e apoia o potencial dessa aquisição.”

Mais investimentos em P&D e novas parcerias
Apesar do ambiente desafiador, a ZF aumentou novamente seus investimentos em P&D para 2,7 bilhões de euros. Em 2018 o valor foi de 2,5 bilhões de euros. O índice de P&D aumentou de 6,7% para 7,3%. “Quando superarmos a crise atual, vamos continuar investindo em tecnologias futuras de maneira focada”, disse Scheider, CEO da ZF. “Isso nos permitirá expandir ainda mais nossas competências como fornecedor líder de sistemas”.

Além dos recursos próprios da ZF, participações e parcerias desempenham um papel decisivo no P&D da empresa – especialmente em relação à condução automatizada. Isso inclui, por exemplo, a aquisição de uma participação majoritária de 60% na empresa holandesa 2getthere, um reconhecido fornecedor de sistemas elétricos autônomos de transporte de passageiros, além da cooperação recentemente acordada com a Microsoft para melhorar os processos de desenvolvimento e aumentar significativamente os recursos de software da ZF. “Isso é importante para nossos clientes que exigem cooperação flexível e prazos de entrega curtos para atualizações de softwares”, explicou Scheider. “Além disso, poderemos desenvolver softwares, mesmo que o hardware ainda não esteja disponível. A ZF também oferecerá soluções de software como produtos individuais no mercado automotivo”.

Número de colaboradores ficou ligeiramente abaixo da previsão anterior para o ano
No final de 2019, a ZF contava com 147.797 colaboradores em todo o mundo, sendo 148.969 em 2018. O declínio de 0,8% reflete o clima econômico mais frágil, pois o plano original era de aumentar a força de trabalho em milhares de profissionais. A ZF ajustou suas capacidades na China, que registrou queda de 9,7%, com 13.289 colaboradores e nos EUA (queda de 7,5% para 11.069) devido às condições do mercado. Na Alemanha, o quadro permaneceu no mesmo nível do ano anterior, em torno de 50.900 profissionais. Empregos adicionais foram criados nas áreas de mobilidade elétrica, condução autônoma e desenvolvimento de software. Isso significa que atualmente existem cerca de 19.400 colaboradores em todo o mundo trabalhando em pesquisa e desenvolvimento, sendo que em 2018 eram 17.100.

Neutralidade climática prevista para 2040
Como fornecedora de soluções de mobilidade orientadas para o futuro, a ZF está comprometida com o Acordo de Paris – oferecendo tecnologias limpas e eficientes e reduzindo a pegada de CO2 de suas plantas. Para esse fim, a empresa desenvolveu uma estratégia de proteção climática no ano passado, baseada na chamada Pegada de Carbono Corporativa (Corporate Carbon Footprint – CCF). Nesta estratégia, a ZF comprometeu-se a reduzir as emissões de gases de efeito estufa (especialmente CO2) em suas plantas, em grande medida. “Nosso objetivo é alcançar neutralidade climática até 2040, de acordo com as especificações da ONU”, disse Scheider. “Para conseguir isso, estamos expandindo nossos programas de eficiência energética existentes e focando ainda mais na energia verde de nossas próprias fontes”. Ao favorecer a produção de energia sustentável por meio de seus acionamentos de energia eólica, a ZF também está contribuindo significativamente para a proteção climática fora de suas plantas.

Perspectivas de negócios para 2020
A situação econômica global mudou fundamentalmente desde a disseminação do coronavírus e também a análise das demonstrações financeiras anuais da ZF. “Quando o mundo chega a uma paralisação social e econômica, enfrentamos uma situação sem precedentes”, enfatizou Scheider. “Seus efeitos são incertos e é por isso que atualmente não estamos em posição de fazer uma previsão válida para 2020. Continuaremos fazendo tudo o que pudermos para proteger nossos colaboradores, impedir a propagação do vírus e garantir a estabilidade de nossa empresa. Com nossa estratégia “Next Generation Mobility’, estamos bem preparados para o longo prazo e para tornar realidade a mobilidade do futuro. ”Com novos pedidos de bilhões de euros para a transmissão automática de 8 velocidades com capacidade híbrida e novos negócios na área de tecnologia de segurança ativa (Sistema de Frenagem Integrado / IBC), o aumento contínuo da demanda por acionamentos de ônibus elétricos e pedidos de P&D para funções de condução automatizada, a ZF possui perspectivas sólidas e de longo prazo.

Visão geral dos números mais importantes

  2019 2018
Vendas consolidadas do Grupo ZF €36.5 bilhões €36.9bilhões
Colaboradores no mundo 147,797 148,969
EBIT (ajustado) €1.5bilhão €2.1bilhões
Margem EBIT (ajustada) 4.1 % 5.6 %
Investimentos em P&D €2.7bilhões €2.5bilhões
Investimentos em ativos fixos €1.9bilhão €1.6bilhão
Índice de endividamento 22.0 % 26.2 %
Fluxo de caixa livre (ajustado) €803 milhões €891 milhões
Vendas da Europa €16.7bilhões €17.4bilhões
– destes, na Alemanha €7.1bilhões €7.4bilhões
Vendas na América do Norte €10.4bilhões €10.3bilhões
– destes, nos Estados Unidos da América €8.8bilhões €8.4bilhões
Vendas na América do Sul €1.1bilhão €1.0bilhão
Vendas na Ásia-Pacífico €7.8bilhões €8.0bilhões
– destes, na China €5.8bilhões €6.2bilhões
Vendas na África €469 milhões €233 milhões

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here