Intensidade de ciclone impressiona cientistas

Poucas tempestades na história tiveram uma intensificação tão rápida como a observada no supertufão que ameaça Taiwan

Imagem de satélite do ciclone monstro Chanthu na manhã de hoje junto ao Norte das Filipinas | Foto: Reprodução/ CIMSS/UW

Do portal MetSul Metereologia

Um ciclone monstro e um dos mais intensos do ano no planeta ameaça algumas das áreas mais densamente povoadas do continente asiático. Chanthu é o nome do supertufão que neste momento está junto ao Norte das Filipinas e depois deve atingir Taiwan e passar muito perto de Sghangai, na China.

Na manhã de hoje, o centro do supertufão Chanthu estava localizado a cerca de 824 km ao Sul-Sudeste de Taipei, Taiwan. Seus ventos sustentados máximos de 10 minutos foram de 195 km/h com rajadas de até 280 km/h enquanto os ventos sustentados máximos de 1 minuto foram de 270 km/h. A pressão atmosférica central mínima era de 920 hPa e o sistema se movia na direção Norte-Noroeste a 17 km/h.

Chanthu manteve sua estrutura compacta enquanto completava outro período de intensificação sob condições altamente favoráveis. No entanto, como continua a se deslocar para Noroeste, a tendência é que o fluxo radial que acelerou seu desenvolvimento anterior desapareça.

Assim, uma intensificação significativa é improvável nas próximos 24 horas, apesar do baixo cisalhamento vertical do vento e das altas temperaturas da superfície do mar no Estreito de Luzon.

A tempestade, atualmente junto a Luzon, no Norte das Filipinas, deve continuar avançando para Norte e gradualmente enfraquecer para uma tempestade equivalente à categoria 4 antes de atingir o Sul de Taiwan neste sábado.

Danos causados por ventos extremos, chuvas torrenciais e inundações de tempestades são comuns em Taiwan. O centro da tempestade deve passar perto ou sobre a capital Taipei como uma tempestade de categoria 2. Embora Taiwan esteja acostumada a tufões, este está tomando um caminho incomum de Sul para Norte que fará com que fique mais tempo sobre a ilha, além de cruzar Taiwan de Sul a Norte, o que aumenta muito o seu potencial de danos.

Um dos ciclones mais intensos do ano

O supertufão Chantu é um dos mais intensos deste ano no planeta e se junta a uma pequena lista de tempestades com força equivalente a de um furacão categoria 5, o máxima da escala Saffir-Simpson usada no Atlântico e no Pacífico Leste e que é não é utilizada para tufões no Pacífico Oeste.

O supertufão Chantu foi precedido por outros três ciclones tão ou mais intensos em 2021. O supertufão Surigae no Noroeste do Pacífico e perto das Filipinas com vento de 305 km/h em 17 de abril, o ciclone tropical Faraji no Sudoeste do Oceano Índico com vento de 257 km/h em 8 de fevereiro e o ciclone tropical Niran no Oceano Pacífico Sul com vento de 257 km/h em 5 de março. A Terra teve uma média de 5,3 tempestades de categoria 5 por ano entre 1990 e 2020, de acordo com as classificações feitas pelo National Hurricane Center e pelo Joint Typhoon Warning Center da Marinha dos Estados Unidos.

Chanthu teve uma intensificação incrível

A intensificação de Chantu espantou os cientistas. Na segunda-feira, um grupo pouco organizado de tempestades no Oeste do Pacífico formou uma depressão tropical com vento de 48 k/h. Quarenta e oito horas depois, a depressão se transformou radicalmente em um tufão intenso com vento chegando a 257 km/h.

O supertufão Chanthu, com isso, se junta a um grupo de elite de algumas das tempestades de intensificação mais rápida já observadas no mundo e a expectativa é que elas se tornem mais comuns por causa das mudanças climáticas causadas pelo homem. Apenas cinco tempestades anteriores registradas saíram de uma depressão para uma tempestade equivalente à Categoria 5 em 48 horas. Foram Elida (2002), Ernie (2017), Willa (2018), Hagibis (2019) e Goni (2020).

O Centro Nacional de Furacões dos EUA define “intensificação rápida” como um aumento dos ventos máximos sustentados em pelo menos 56 km/h em 24 horas. Alguns ingredientes essenciais para a rápida intensificação dos ciclones tropicais incluem altas temperaturas da superfície do mar, excesso de calor latente do oceano (uma medida da temperatura da água abaixo da superfície) e baixo cisalhamento vertical do vento.

As águas quentes conjuntamente com ar quente e úmido fornecem energia vital e umidade para os furacões. O cisalhamento do vento vertical é a diferença na velocidade e direção dos ventos de nível inferior e de nível superior na atmosfera. O alto cisalhamento rasga o topo dos furacões em desenvolvimento e os enfraquece enquanto o baixo cisalhamento permite que as tempestades ganhem força.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here