Ministério da Saúde realiza pesquisa para conhecer o perfil de saúde dos brasileiros

As ligações serão feitas das 9h às 21h (horário de Brasília) durante a semana, e das 10 às 16h aos sábados, domingos e feriados | Foto: reprodução

Desde a última quarta-feira (08), a equipe do Ministério da Saúde realiza a pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2020). A expectativa é ouvir cerca de 27 mil pessoas, neste primeiro semestre.

Com isso, quem for maior de 18 anos e residir em uma das 26 capitais do País, além de Brasília, pode receber uma ligação para responder a pesquisa, que mede os fatores de risco e de proteção para doenças como diabetes, cânceres, obesidade, doenças respiratórias e relacionadas ao coração – principais causas de mortes no Brasil.

De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, os dados são essenciais para promover a saúde e políticas públicas. “Conhecer a situação de saúde da população é o primeiro passo para planejar ações e programas que reduzam a ocorrência e a gravidade destas doenças, melhorando, assim, a saúde da população”, afirma.

Desde 2006, a pesquisa Vigitel monitora a frequência e a distribuição de fatores de risco para o surgimento destas doenças através de um questionário, respondido por telefone, sobre itens como hábitos alimentares (consumo de frutas e hortaliças) e estilo de vida (prática de atividade física, tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas). São também investigadas a frequência e o diagnóstico médico de hipertensão arterial e diabetes, bem como a realização de exames de mamografia e papanicolau.

O tempo médio para responder ao questionário é de aproximadamente 12 minutos. As ligações serão feitas das 9h às 21h (horário de Brasília) nos dias da semana, e das 10 às 16h aos sábados, domingos e feriados. A participação na pesquisa é voluntária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here