Amazon oficializa parceria com Prefeitura e passa a oferecer diversos serviços em São Bernardo

Amazon Web Services (AWS) oferecerá capacitações relacionadas à computação em nuvem e crédito para que startups utilizem os serviços da empresa gratuitamente

Paulo Cunha (esquerda), representante da Amazon Web Service, durante a assinatura do convênio, ao lado do prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando

A notícia veiculada por este portal, sobre a parceria entre a Prefeitura de São Bernardo do Campo e a empresa americana Amazon Web Services (AWS), foi confirmada em solenidade realizada na manhã de hoje (12), no Salão Nobre do Paço Municipal. Na ocasião, o prefeito da cidade, Orlando Morando, e o responsável pelo setor público da AWS no Brasil, Paulo Cunha, assinaram o memorando de cooperação entre as partes, que torna possível a implantação de projetos da companhia no município.

Multinacional de grande porte, a AWS, uma das empresas da Amazon, é especialista em serviços tecnológicos, especialmente aqueles que se utilizam de cloud computing (computação em nuvem).

Em linhas gerais, a parceria prevê que a companhia atue em duas frentes: a primeira, permite que a empresa utilize sua expertise no assunto para oferecer conteúdo educacional para docentes e estudantes da cidade, por meio de capacitações à distância. A segunda, projetada para atender startups, inclui acesso de empresários a mentorias e a concorrência à linhas de serviços gratuitos oferecidos pela corporação. Portanto, a cooperação não exigirá nenhum investimento financeiro direto da AWS na cidade, tampouco necessita de verbas do orçamento público.

A assinatura da parceria, além de oferecer benefícios para diversas entidades estudantis e empresas de São Bernardo do Campo, foi planejada para atender duas demandas essenciais da AWS. A primeira é a formação de mão-de-obra qualificada entre os jovens, para que estes estejam aptos a manipular e utilizar os serviços oferecidos pela rede (uma demanda sentida não apenas pela Amazon, mas por quase todas empresas de alta tecnologia que atuam no Brasil); e a segunda, como não poderia deixar de ser, é o prospecto de novos clientes (a ideia é que após usar o serviços da empresa gratuitamente, as startups que prosperarem continuem a utilizar as ferramentas da empresa, como clientes).

O plano de aproximação com o setor público para contemplar suas necessidades não é uma estratégia inédita da AWS, que conta com acordos vigentes com outros municípios brasileiros.

Questionado pela reportagem da Negócios em Movimento, o representante da AWS explicou a diferença entre os modelos. “Cada prefeitura tem uma vocação. Dentro do conceito de vocação, nós balanceamos nossos programas. Ela não é mais abrangente (que as outras parcerias). Eu diria que ela atende a vocação da cidade, utilizando os programas que a AWS tem disponível”, afirma.

Universidades terão liberdade no uso do conteúdo

As ações voltadas à Educação da cooperação são dividas em três projetos. A primeira é a AWS Educate, iniciativa global da Amazon, que fornece cursos gratuitos para professores e alunos com certificações concedidas pela Amazon aos participantes, que completarem as 14 “trilhas” da formação.

O segundo projeto da área chama-se AWS Academy, totalmente voltado a instituições de ensino superior. O programa coloca à disposição das universidades currículo de computação em nuvem, para que elas transmitam aos alunos da maneira que acharem mais conveniente. É possível, por exemplo, utilizar o material para a formatação de um curso de pós-graduação, ou adequá-lo para que se transformem em disciplinas dentro de graduações que já existem, como Engenharia da Computação, Ciência da Computação ou Engenharia Eletrônica, por exemplo.

A terceira vertente do projeto é o apoio aos pesquisadores acadêmicos, que podem enviar projetos de pesquisa para a companhia. Caso aprovados, eles têm acesso a “créditos em nuvem”, que nada mais é do que acesso aos serviços da AWS. O crédito disponibilizado varia de caso a caso e não há limite. De acordo com Cunha, os pesquisadores conseguem, em média, entre US$ 5 e US$ 10 mil de crédito.

Aceleração a startups

A cooperação contempla o empreendedorismo em duas formas. A primeira é via AWS Activate. Por intermédio do Centro de Empreendedorismo e Inovação Tecnológica (Ceitec), órgão criado pela Prefeitura de São Bernardo do Campo para apoio e incubação de novos negócios, as startups terão acesso a até US$ 10 mil em serviços da AWS para formatar um modelo de produto. Após essa etapa, será possível requerer novos “créditos em nuvem”, dessa vez de até US$ 100 mil, para acelerar o negócio. O outro projeto voltado aos empresários segue as mesas diretrizes da AWS Activate, mas é voltado especificamente para as startups de educação, as edtechs.

O cerimonial de assinatura do acordo contou com representantes de diversas instituição de ensino, além de executivos do setor produtivo da cidade. Agora, o cronograma prevê novas reuniões entre Prefeitura e AWS, para que seja formato um protocolo com os requisitos que as empresas e faculdades devem preencher para ter acesso aos benefícios da parceria.

Morando participou apenas do início da solenidade, pois precisava embarcar para Brasília para cumprir agendas relativas ao seu partido, o PSDB, mas exaltou a parceria. “Estamos a mais de seis meses buscando firmar este convênio, que é uma troca de conhecimento. É um convênio importante, a gente traz uma multinacional gigante para dentro da cidade, para o Ceitec, que é o nosso polo receptor para esse tipo de conhecimento”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here