Medei deve ampliar atuação e estima dobrar número de atendimentos até o fim do ano

Vivian Silva

A Medei, startup de São Caetano do Sul que cuida de pós-desligamento de colaboradores, abrirá o atendimento para empresas de pequeno e médio porte, no segundo semestre de 2020. Além disso, a sócio-fundadora da companhia, Fernanda Medei, estima fechar o ano com 30 mil processos de homologação, o dobro do número de atendimentos realizados em 2019.

“Estamos com rodada aberta para investimento e acreditamos que, até o fim do ano, a gente faça mais de 30 mil processos de homologação. E quando atendermos as pequenas e médias (empresas), a intenção é chegar a cinco vezes mais, 150 mil a 200 mil processos (até 2022)”, conta Fernanda, com exclusividade ao Negócios em Movimento.

Atualmente, a Medei presta serviços para grandes empresas com mais de 500 funcionários de diversos segmentos, entre eles, o farmacêutico; indústrias cosmética, química, papel e celulose; e instituições financeiras, que possuem mão de obra espalhada pelo Brasil. Ao expandir o atendimento, a empresa passará a atender companhias que tenham de 50 a 500 colaboradores.

Na prática, o trabalho da Medei funciona por videoconferência, com documentação salva na nuvem. “Nós fazemos a conexão via videoconferência com este funcionário (que foi demitido), na localidade onde ele reside. Tem um advogado que está com a documentação impressa e ele quem vai assinar, baixar a carteira, entregar a documentação, então, na videoconferência nós mostramos toda documentação, todos os descontos, pagamentos, falamos quais são os próximos passos para este funcionário”, explica Fernanda.

Com isso, a fundadora da Medei garante que o processo de desligamento se torna mais rápido, transparente e seguro, pois toda documentação pode ser acessada facilmente. Além disso, Fernanda comenta que, atualmente, há 32 pessoas que trabalham na Medei, mas há vagas em aberto, devido ao processo de crescimento da startup.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here