Primeira fintech global do setor esportivo vence premiação de empreendedorismo

Com o prêmio, StadiumGo! credencia-se a participar da Gitex Future Stars, que acontece em Dubai no mês de outubro, evento que reúne investidores internacionais em busca de startups com grande potencial de crescimento.

A StadiumGo!, plataforma de inovação para financiamento e investimento nos setores esportivos e de entretenimento – através criptoativos financeiros desenvolvidos a partir de receitas recorrentes ou estimadas das entidades desportivas ofertados ao torcedor/investidor – foi primeira colocada na 3ª edição do Prêmio São Paulo de Empreendedorismo no Esporte dentre 5 finalistas.

Fundada e comandada pela jornalista Bruna Botelho, a plataforma de inovação financeira, além de ser a primeira fintech direcionada ao setor esportivo em todo o mundo, também foi pioneira no uso do NFT como ativo financeiro com lastro, não só como um item colecionável.

“Ficamos muito honrados com a premiação, pois conhecemos, acompanhamos e admiramos o trabalho das outras concorrentes. A oportunidade de participação na Gitex, em Dubai, acelera nosso processo de internacionalização”, explica a CEO da startup.

“Nosso objetivo é transformar a relação do torcedor com o clube e o esporte em geral. Hoje, o torcedor é o passivo do clube, queremos que ele participe da receita e de todo ecossistema da entidade, gerando maior engajamento desse público. Por outro lado, hoje os clubes viraram empresas, porém, com dívidas e necessidade de financiamento para o qual oferecemos a oportunidade de capitalização com investimento de baixo custo”, completa Bruna.

Com a colocação, a StadiumGO! terá o direito de participar da Gitex Future Stars – que acontece em Dubai, nos Emirados Árabes, no período de 17 a 20 de outubro de 2021-, que inclui um estande na área Fintech Surge, patrocinado pela Confederação Nacional de Serviços (CNS), podendo candidatar-se à competição inicial do Innovation Challenge e inclusão no Programa de Investidores, assim como estadia no período de permanência. Além disso, os três primeiros colocados se candidatam, automaticamente, para participar do Programa Acelera Startup, promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), considerado o maior evento de investimento-anjo da América Latina que objetiva fomentar a integração entre empreendedores e investidores interessados em projetos ou empresas inovadoras.

Outros destaques

O 2º lugar no Prêmio São Paulo de Empreendedorismo no Esporte foi atribuído a iSportistics, que desenvolve tecnologias proprietárias de inteligência artificial, machine learning, deep learning e visão computacional alinhadas com as mais avançadas tecnologias mundiais, incluindo, dentre seus produtos, solução autônoma de clipping de highlights (momentos de destaque), inserção autônoma de mídia, informações e publicidade, representação gráfica de análises táticas, captura e análise de estatísticas (velocidade, deslocamento, distância, posicionamento e heat map, entre outros), esporte action cam autônoma e sem operador e ferramenta de busca e classificação/indexação de eventos, jogadas, atletas e objetos, dentro de acervos de vídeos.

Segundo Vini Gholmie, fundador e diretor da iSPORTiSTiCS, também vencedora da edição passada do Prêmio na categoria aplicativos, “a premiação é superimportante, pois ajuda a fomentar o segmento sport tech no Brasil”. Para o executivo, “é o reconhecimento das entidades sobre a cultura de inovação no mundo esportivo”.

“O setor ainda é insipiente no Brasil, muito mais por desconhecimento, de não saber que pode ser uma coisa simples implantar inovação em um clube. Defendemos que a complexidade técnica deve ficar com nós, fornecedores, e que o que se faz no mundo inteiro pode ser feito no Brasil”, completa Gholmie.

A terceira colocação ficou com a Block4, fantech que cria e gerencia plataformas de colecionáveis digitais (os TiBS), aproximando os fãs de suas instituições esportivas, artistas, influenciadores, criadores de conteúdo e comunidades através de experiências altamente engajadoras e que misturam o físico e o digital (phydital), usando a tecnologia para revolucionar essa relação e trazendo a blockchain e os NFTs para dentro da indústria esportiva e de entretenimento.

Leonardo Cohen, executivo da empresa, destaca a importância da premiação afirmando que “nessa Olimpíada Tecnológica, fomos medalhistas”. De acordo com o especialista, pesquisas indicam que 90% dos brasileiros comprariam algo indicado por um influenciador e, no segmento sport tech, o mercado deverá crescer com a necessidade de trazer o torcedor para perto do clube e com a democratização do blockchain. “Queremos atender a base de torcedores e promover o engajamento criando produtos para as massas e não para as classes”, completa Cohen.

O 3º Prêmio e Fórum São Paulo de Empreendedorismo no Esporte foi possível com subsídio e auxílio de Emenda Parlamentar do Vereador Atílio Francisco, sendo uma realização da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de São Paulo (SEME), em conjunto com a Federação Nacional das Entidades do Terceiro Setor (FENATS), com promoção da Associação Brasileira da Indústria do Esporte (ABRIESP) e apoio da Investe SP, SP Negócios, ABDI, CNS, FIESP, SStudio Marketing, ABFintechs, CREF4/SP, Viva RTV, Escola Brasileira de Games, CNS, World SBN, Centro Universitário Facens, Ps2Tech, Fitness Mais, ISPO Brandnew e Família do Esporte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here