Startup brasileira é convidada para Fórum Mundial de Anjos Investidores

Nos próximos dias 17 e 18 de fevereiro, acontece em Istambul, na Turquia, o WBAF 2020, Fórum Mundial de Anjos Investidores. O evento tem como objetivo ligar empresários, startups e PMEs a investidores anjos. É o maior encontro anual do mundo do mercado de investimentos e empresas em estágio inicial. E o Brasil tem representante entre as 100 startups de diversos países convidadas para participar: a Air Agro, uma Agtech de Goiás, que tem como objetivo garantir aos produtores rurais uma contratação segura e eficaz de seus fornecedores.

“Essa é uma oportunidade única para mostrarmos o nosso trabalho e, quem sabe, conseguir novas parcerias”, explica Fabiana Oliveira, CEO da empresa. No evento, ela poderá mostrar os objetivos, os valores e os benefícios da Air Agro para os maiores investidores do mundo.

O trabalho da startup consiste em colocar os contratantes em contato com pessoas e empresas qualificadas para as atividades no campo. Uma auditoria em tempo real se certifica se os fornecedores estão com a situação regularizada e têm toda a documentação em dia. A Agtech tem como missão contribuir com a agricultura 4.0 no segmento de pulverização, entregando ao agricultor e ao fornecedor o compliance que o mercado exige. Além disso, espera proporcionar redução de tempo, aumento de lucro e diminuição de despesas aos produtores. Já aos consumidores, levará segurança alimentar. E à sociedade, o compromisso com o social e com meio ambiente.

A averiguação dos contratados será feita inicialmente através de inteligência artificial. Futuramente, a ideia é integrar a plataforma às das entidades que fiscalizam o mercado agro. Tudo sem custo aos produtores rurais. “O ganho da Air Agro será em cima das transações bem-sucedidas, com uma comissão paga pelos fornecedores”, diz a CEO. Haverá também a moeda Agro Cash Back Social, que será direcionada a uma entidade escolhida pelo produtor rural ou a alguma cadastrada no banco de dados da startup.

A Air Agro tem como sócio cofundador técnico a FasterCapital, uma incubadora virtual com sede em Dubai que investe em startups e disponibiliza todo o desenvolvimento técnico às empresas. “A startup brasileira vem com uma variedade de soluções agrícolas que ajudam nas questões sociais e ambientais. Ter soluções diversificadas nos diferentes domínios é a meta da FasterCapital” afirma Bashar Hamood, diretor administrativo da empresa dos Emirados Árabes Unidos.

“A FasterCapital tem mais de 150 desenvolvedores, formando um time técnico de excelência, com especialistas nas mais diversas áreas de TI, software e hardware. Unidos, nossa escalabilidade mundial e internacionalização se tornam reais”, conta a sócia da Air Agro. Ela revela que o plano é deixar a plataforma em vários idiomas e, consequentemente, disponível para diversos países. “É preciso ter uma visão globalizada do negócio, mesmo que iniciante”.

Segundo levantamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a área total plantada com lavouras no Brasil passará de 75,4 milhões de hectares para 85,68 milhões em 10 anos. Os dados ainda mostram que, na próxima década, o país irá produzir 300 milhões de toneladas de grãos. “É um setor muito forte e com grande potencial de crescimento. A gente via empresas que faziam a ponte entre contratantes e contratados e achava vantajoso, mas reparamos que nenhuma se responsabilizava por qualquer problema nesse meio de campo. Em breve terá: a Air Agro”, conclui Fabiana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here