Fevereiro Roxo: alerta para Alzheimer, fibromialgia e lúpus

*Por Felipe Ibiapina dos Reis

Desde 2014, a campanha “Fevereiro Roxo” busca a conscientização em relação a três importantes doenças: o Alzheimer, a fibromialgia e o lúpus. Apesar das suas características próprias, as três têm muito mais em comum do que se imagina. São doenças crônicas, de origem ainda não totalmente esclarecida, sem cura e que afetam de forma significativa a qualidade de vida, não somente dos pacientes portadores, mas também dos familiares e cuidadores.

A doença de Alzheimer é o tipo de demência mais comum. Afeta principalmente idosos e é marcada por uma perda progressiva da memória e outras funções cerebrais, tornando o paciente cada vez mais dependente de auxílio para tomadas de decisões importantes e até mesmo para atividades antes triviais, como tomar banho, vestir-se e se alimentar.

A fibromialgia, por sua vez, tem como principal sintoma dores no corpo por longos períodos, com pontos de sensibilidade maior em articulações, músculos e tendões. As dores estão associadas, por vezes, a sintomas incapacitantes, como cansaço, fraqueza e insônia, e também a quadros de depressão e ansiedade.

Já o lúpus é uma doença inflamatória autoimune, mais comum (mas não restrita) em jovens, na qual o próprio sistema imunológico ataca tecidos saudáveis do corpo, podendo afetar vários órgãos, como pele, articulações, rins e o próprio cérebro. O paciente com lúpus pode também sofrer com sensibilidade à luz solar e, dependendo da gravidade, pode ter distúrbios de coagulação e ser mais suscetível a infecções, tromboses, miocardite, infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral.

Apesar de ainda incuráveis, muitas descobertas da ciência têm trazido uma nova luz ao tratamento e, principalmente, para a prevenção. Hábitos saudáveis, como hidratação adequada, alimentação balanceada, evitando excesso de alimentos industrializados, frituras e carboidratos (“açúcares”), assim como medidas de higiene do sono, adequado manejo do estresse e a prática regular de atividades físicas, mantendo o corpo e a mente sempre ativos, são os primeiros e mais importantes passos para a prevenção.

A saúde é nosso bem mais precioso. Em caso de dúvidas, não hesite em procurar o seu médico. O diagnóstico precoce é extremamente importante para melhorar a qualidade de vida dos pacientes, dos familiares e dos cuidadores.

*Felipe Ibiapina dos Reis é neurologista, integra o corpo clínico do Hospital Dona Helena, de Joinville (SC), e professor do curso de medicina da Universidade de Joinville (Univille).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here