Moradores da periferia andreense fortalecem rede de comunicação para combater o coronavírus

Entidade social e jovens da periferia se organizam para criar e divulgar conteúdos que possam chegar na ponta de territórios vulneráveis | Foto: Divulgação

A prevenção e a luta contra a pandemia do novo coronavírus em regiões periféricas muitas vezes são prejudicadas devido à falta de acesso à informação e à circulação de boatos. Em Santo André, a alternativa encontrada para enfrentar esses problemas foi o fortalecimento de uma rede virtual de comunicação, que reúne moradores e lideranças de 80 comunidades e conjuntos habitacionais do município.

Em meados de março, o Movimento de Defesa dos Moradores de Núcleos Habitacionais de Santo André (MDDF) criou o “Comitê das Comunidades: rede de comunicação de enfrentamento ao coronavírus”. A iniciativa ocorre por meio das redes sociais e oferece diálogo constante com os participantes, além de compartilhamento de notícias e de dicas de prevenção e higiene.

O comitê ganhou mais força a partir de junho, com o apoio da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). A organização lançou um edital para financiar ações emergenciais junto a populações vulneráveis, com o objetivo de contribuir com iniciativas que visam prevenir o contágio e garantir condições mínimas de sobrevivência a famílias impactadas pela crise socioeconômica.

“Num momento em que o distanciamento social se faz necessário, tivemos que nos adaptar para ficar presente nos territórios e contribuir com informações diretas às comunidades. Nossas ações já chegaram a diversos locais e, com novas iniciativas, atingiremos indiretamente mais de 80% das favelas de Santo André, que representam um universo de 111 mil pessoas”, explica o coordenador do Comitê das Comunidades, Edinilson Ferreira dos Santos.

A coordenadora executiva da chamada pública da Fiocruz, Márcia Corrêa e Castro, afirma que o projeto de financiamento é fundamental para atingir várias comunidades. “Quando a gente envolve organizações sociais de todo o Brasil, em uma ação de comunicação confiável, conseguimos fazer com que a informação correta chegue de maneira específica e formatada para diferentes públicos em cada região do País”. A Fiocruz disponibiliza, por meio da campanha “Se liga no Corona!”, conteúdos de livre acesso sobre a Covid-19.

A partir das diferentes realidades das favelas de Santo André, o Comitê das Comunidades consegue mapear as principais dificuldades e produzir conteúdo adaptado. Com o contato com moradores e representantes de associações de bairro, a comunicação com as comunidades fica mais direta e, assim, pode chegar na ponta dos territórios vulneráveis, o que contribui para ampliar o acesso à informação e, consequentemente, ajudar a população a vencer a Covid-19. Os informativos são feitos também por moradores de regiões periféricas e envolvem boletins em vídeos, podcasts, materiais gráficos, spots, faixas, transmissões ao vivo e posts para as redes sociais da instituição MDDF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here