Preocupação com ganho de peso, um fator limitante entre as mulheres para abandonar o tabaco

Um tratamento multidisciplinar - combinando elementos psicológicos, exercícios físicos e uma dieta adequada – pode ser necessário para abandonar o tabagismo | Foto: divulgação

*Por Adriana Stavro 

Evidências sugerem que a preocupações com a forma física, interfere nos esforços de parar de fumar sobretudo entre o público feminino. Os perigos do tabagismo e os benefícios da desistência do hábito, são bem claros. No entanto, pouco se sabe sobre como parar de fumar, e se isso afeta a qualidade de vida dos indivíduos.

Os fumantes relatam várias razões para não parar de pitar, entre elas, dificuldade de lidar com estresse diários, piora do humor, dependência psicológica (sensação de que o cigarro ajuda lidar com diferentes sentimentos, como solidão, frustrações e dificuldades sociais) e preocupação com o ganho de peso,especialmente entre as mulheres.

Estudos indicam que muitas mulheres usam o cigarro como um mecanismo de controle de peso e são avessas ao vício por medo de engordar. Essas fumantes preocupadas com o corpo, são significativamente menos propensas a desistir, e a participar de programas de cessação do tabagismo e recaem com mais frequência no hábito em relação as mulheres não preocupadas com o peso.

Pesquisas indicam que a motivação para uma mulher abandonar o fumo, se correlaciona positivamente com sua confiança e capacidade de controlar o peso. Da mesma forma, o sucesso na desistência do tabagismo foi associado na auto eficácia de manter-se magra.

Tais descobertas levantam questões sobre a necessidade de trabalhar alimentação emocional, percepção do apetite, tolerância à angústia e habilidades de alimentação consciente entre as fumantes. Além disso um tratamento multidisciplinar combinando elementos psicológicos, exercícios físicos e uma dieta adequada pode ajudar a vencer o vício,controlar ansiedade, prevenir depressão, evitar ganho de peso, diminuir compulsão por doces, entre outros.

É importante lembrar, que os benefícios à saúde de não fumar excedem em muito os problemas associados a um possível ganho de peso. Para evitar este estresse ao deixar o fumo, algumas medidas simples podem fazer toda a diferença nesta nova jornada.

· Inclua atividade física em sua rotina diária. O exercício físico regular ajuda queimar calorias, alivia os sintomas de estresse e as crises de abstinência.

· Planeje refeições que incluem cereais integrais, proteínase laticínios magros, frutas, legumes e verduras variadas e coloridas.

· Se estiver com fome entre as refeições, opte por lanches saudáveis, como frutas frescas, palitos de vegetais, pipoca, iogurtes proteicos.

· Inclua no cardápio alimentos que ajudam a desintoxicar e a retirar a nicotina do sangue, diminuindo as crises de abstinência(cenoura, gengibre, arroz integral, brócolis, semente de abóbora, alho, laranja e grão de bico).

· Consuma diariamente alimentos fontes de triptofano que auxiliam a promover maior sensação de bem estar e prazer, podendo ser bem úteis na fase do tratamento (folhas verdes escuras, peixes, banana e feijão, chocolate 70% cacau e mel).

· Beba muita água para eliminar as toxinas do cigarro. Além disso, a água ajuda a controlar a compulsão por doces, que pode surgir nesse período.

· Procure tomar sol diariamente. A vitamina D é um importante nutriente para a produção de serotonina e é sintetizada no organismo com a ajuda da luz solar. Há, inclusive, pessoas que sofrem de depressão sazonal, que as acomete nos meses mais frios. A recomendação de exposição ao sol é às 10h e depois das 16h.

*Adriana Stavro é nutricionista, pós-graduada em Doenças Crônicas não Transmissíveis pelo Hospital Albert Einstein. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here